Jornalista Décio Sá é executado com seis tiros na Litorânea - Manchete do São Francisco

Manchete do São Francisco

JM News: 9 anos desde 08/03/11

Últimas

24 de abril de 2012

Jornalista Décio Sá é executado com seis tiros na Litorânea

O jornalista e blogueiro Décio Sá foi assassinado na noite desta segunda-feira no bar Estrela do Mar, na Avenida Litorânea, por volta de 23h30.




Segundo o delegado Gutemberg Rêgo, ele estava sentado quando um homem caminhando entrou no banheiro do estabelecimento para se certificar que era de fato o jornalista. Quando saiu, iniciou uma série de disparos contra a cabeça de Décio, que morreu na hora. Levou quatro tiros na cabeça e dois nas costas. Ele aguardava um amigo no restaurante.
Depois de atirar, o matador saiu caminhando e fugiu em uma moto, que o aguardava do outro lado da pista. Para praticar o crime, ele não usava capacete e pôde ser visto por testemunhas.
Curiosos, amigos, jornalistas e o secretário de segurança, Aluísio Mendes, foram ao local ao saber da morte de Décio. A polícia faz diligências no momento para prender os criminosos. Segundo Aluísio, trata-se de um crime encomendado.
Décio Sá era repórter do jornal O Estado do Maranhão. No seu blog pessoal, colecionava milhares de acessos e algumas polêmicas pelo estilo crítico dos seus textos e dos assuntos que explorava. Ele dedicava o trabalho a cobrir a política estadual. Durante a carreira ganhou a simpatia de muitos e a antipatia de outros tantos.
Décio Sá se formou na Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Além de O Estado, jornal que trabalha como repórter de política há quase uma década, também foi repórter de O Imparcial.
Jornalistas e autoridades se indignam com morte
Jornalistas maranhenses estão indiganados com o crime contra o colega de profissão Décio Sá. Pelo Twitter, dezenas de postagens condenam o atentado e pedem respeito aos profissionais de imprensa do Maranhão.
Estou vendo agora a notícia sobre o Décio Sá e ainda não estou acreditando”, disse o jornalista Clodoaldo Corrêa. “No Maranhão, se fala morre. Se cala, morre do mesmo jeito, num pântano de silêncios. Chocado com a execução do jornalista”, comentou o jornalista Alex Palhano.
E mais: “Esse é um crime contra os jornalistas e contra a liberdade de expressão. Não podemos aceitar”, criticou Wal Oliveira.
Outros profissionais, via Twitter, também postam mensagens indignadas. “É inaceitável, intolerável, que numa sociedade democrática haja espaço para crimes assim. No campo, na cidade, em qualquer lugar. Reação!”, disse o jurista Cláudio Pavão.
O deputado estadual Rubens Júnior também comentou o crime e pediu apuração contra os culpados. “Matar jornalista é um ato de bandidagem e um atentado contra a democracia. Apuração irrestrita já”.
Mário Macieira, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional no Maranhão, chamou a execução de “crime de pistolagem”. “Crime de pistolagem contra jornalista, na capital do estado em pleno sec XXI?!! Inaceitável! Incencebível! O Estado precisa responder”.


O Imparcial

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pages