Sem Verba, creche corre risco de fechar em Propriá - Manchete do São Francisco

Manchete do São Francisco

JM News: 9 anos desde 08/03/11

Últimas

6 de junho de 2013

Sem Verba, creche corre risco de fechar em Propriá

Desde 2011 a prefeitura suspendeu o recurso destinado a instituição


Com quase  40 anos de historia, a Creche filantrópica São Vicente de Paulo, localizada no município de Propriá, distante 98 quilômetros de Aracaju, está passando por dificuldades estruturais e principalmente financeiras. Fundada pelo Padre Etiene  Paul  Lemaire, a instituição recebia uma verba de R$ 4.255,00 da Prefeitura para suprir os custos. Porém, há dois anos o prefeito da época, Paulo Brito, suspendeu a verba,e a partir daí os problemas só aumentaram. A  instituição , que já cuidou de 250 crianças e contou com quase 50 funcionários hoje tem apenas 58 delas, apenas dez  funcionárias e um saldo devedor de  R$ 19.000,00.

De acordo com o Padre Etiene Lemaire  que mora no Brasil desde 1974, sem recursos, a creche está enfrentando inúmeras barreiras para continuar funcionando.”Desde que deixamos de receber, estamos pedindo  ajuda a um e outro, sobrevivendo de doações que chegam. Essa verba nos ajudava bastante, mas não sei por que motivo foi cortada em 2011”, explica.

A diretora   da instituição Edy Meire Santos da Silva explica que, desde quando a Legião Brasileira de Assistência  (LBA) foi extinta, a prefeitura de Propriá  ficou responsável de repassar o valor de R$ 4.255,00 para a Creche. “Foram mais ou menos 15 anos recebendo direitinho, só que de dois anos pra cá, a Prefeitura parou de repassar sem nenhuma explicação. Chegou um ponto que não tinha mais como esperar. A partir daí, fui tomar as providências, já que a Prefeitura não fez a parte dela. Liguei para o Ministério da Educação, eles me encaminharam um oficio dizendo que a creche está conveniada normalmente e recebendo os benefícios”, relata.

Com o oficio em mãos, Edy Meire iniciou uma verdadeira peregrinação para provar  que estava tudo regularizado e que a creche tem direito ao recurso. “Comecei  a ir atrás do prefeito,mostrei o ofício a ele, provei que a creche tem direito a verba. A situação da Creche está tão grave, que estamos à beira de um fechamento. Só não fechamos por amor ao que temos a essas crianças. Fechar uma obra dessa ou entregar por nada a prefeitura é um absurdo! Isso aqui são vidas”, ressalta a diretora que atua há mais de 30 anos na casa.

Para tentar encontrar uma solução para o  problema, várias reuniões foram realizadas entre a direção da creche,o bispo do município de Propriá e a prefeitura. Porém a “solução” encontrada pelo prefeito José Américo, foi que a diretora fosse retirada do cargo. “Dizia a todo mundo nas reuniões que para resolver o problema da creche, tinha que me afastar de lá. Ele ameaçou me afastar só porque eu estava reivindicando direitos.Chegou a dizer que se eu saísse,não faltaria nada na creche. Inclusive,quando estive no Fórum para denunciar essa questão, ele disse para mim que eu ia me ferrar. Ferrada ou não, eu prestei queixa e estou aguardando a resposta do promotor”, relata.

Doações

Desde quando vêm enfrentando problemas por conta da suspensão dos recursos, a Creche São Vicente de Paulo sobrevive de doações de qualquer tipo, seja ela financeira ou com materiais como remédios, alimentos,  fraudas.”Inclusive recentemente a comunidade organizou uma campanha de doação de alimentos, graças a deus nos ajudou muito. Foram mais de 150 quilos de alimentos. Além disso, o padre proprietário da creche celebra missa e as doações que recebe, ele repassa para que eu compre comida e remédios.o que eu puder  fazer pela creche eu vou fazer,mas não vou dar gosto para o prefeito fechar”, rebate Edy Meire.

Ainda segundo a diretora, quase diariamente a creche recebe cadastro de crianças para se matricular. Porém, no momento a casa está impossibilitada de receber. “Por causa da falta de dinheiro, não podemos receber mais crianças, não tem como dar suporte a todos. Mas, tenho fé em Deus que essa situação vai se normalizar”, acredita.

Fonte: Jornal da Cidade Impresso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pages